Gabinete 2×12 para guitarra – Fim da montagem

Ao final deste post, a caixa ja estava quase toda montada, faltando só as ligações elétricas e prender o fundo e a frente ( moldura com tecido ). Seguindo então:

Circuito da caixa

Circuito da caixa

Esse ai é o circuitinho que esbocei pra caixa. Usando três jacks e duas chaves DPDT ( 2 polos, 2 posições ), eu consigo usar os falantes ligados em série e em paralelo, conseguindo uma impedância resultante de 16 e 4 ohms respectivamente, e também consigo usar os falantes, que têm impedância de 8 ohms,  individualmente.

Area de trabalho

Area de trabalho

Depois de um belo trabalho soldando e trocando uma chave estragada ( uma solda errada, dessolda, muito tempo aquecendo para tirar a solda antiga e a parte plástica da chave derreteu, desfazendo algum contato interno ), terminei e fui testar, usando só o teste de continuidade do multímetro. Em segundos ja descobri um erro. O suporte onde os jacks estão presos é de alumínio, e o “neutro”, ou o polo externo dos jacks, é a própria armadura do jack. Por conta disso, quando selecionado o moto “mono, em serie”, em que o “negativo” do falante B deve estar ligado ao “positivo” do falante A, os dois “negativos” estavam ligados, através da placa.

Pronto. Só não funciona.

Pronto. Só não funciona.

Soluções: instalar arruelas de isolamento, ou trocar a placa. Mas era noite e onde é que vou encontrar essas arruelas aqui em BH e região ? As lojas de eletrônica aqui são uma m****, só tem alto-falante ! E não tenho uma peça de outro material, isolante, com que consiga fazer um painel bacana como esse de alumínio. O negócio foi cortar o painel e prender um pedaço de plástico, retirado da caixa de um rastreador que veio na moto, e prender ao alumínio com rebites.

Ficou fino, mas não fiquei muito feliz de ter que refazer o trabalho todo, e acabei esquecendo de tirar foto na hora.

Painel instalado

Painel instalado

Só tirei essa foto ai de cima depois, pra lembrar da posição das chaves, na hora de escrever os “labels” nelas, depois de ja ter parafusado a tampa traseira na caixa. Ta uma bosta mas da pra ver a lâmina de plástico e que as chaves e jacks estão presos nela. O aluminio foi cortado ali, e o plástico é preso no alumínio, por rebites, nas pontas.

Frente

Frente

E um breve ensaio fotográfico da bichinha pronta.

Frente - Em pé

Frente – Em pé

 

Traseira

Traseira

Clicando na imagem, abre-se uma de maior resolução, e da pra ver o painel traseiro com mais detalhes. Uma chave seleciona entre os modos stereo e mono e a outra entre os modos mono, 4 e 16 ohms.

Caixa + P1

Caixa + P1

E os dois juntos, amp e gabinete. É isso ai, depois tenho que botar aqui uma gravação do som desse monstrinho ai. Fala demais, e o som é foda, bonito demais !

Próximo post, um gabinete de madeira para o P1…

Anúncios

4 Respostas para “Gabinete 2×12 para guitarra – Fim da montagem

  1. Marco Fonseca

    Cara, parabéns! Esse projeto está excelente! Obrigado por compartilhar.

  2. JÚLIO JORGE LEITE

    Cara, vc é muito criativo mesmo, ficou muito bacana. Gostaria de saber se vc poderia me dar umas dicas. Pois tenho um amplificador combo fender transistorizado com dois falantes, e também um cabeçote válvula. Então pensei, posso usar esse amp transistorizado desligado utilizando apenas a estrutura da caixa com os dois falantes e colocar saídas para utilizar no meu cabeçote valvulado? Vc poderia me responder isso. Acho que o esquema que vc mostrou na construção do gabinete 2×12 funcionaria se eu fizesse apenas uma placa externa e conectasse aos falantes o que vc acha?

    • Acho que é tranquilo adaptar o esquema que eu fiz para o meu gabinete para usar o seu combo sim, mesmo mantendo a ligação ao amplificador transistorizado. Você pode ligar um plug macho ao fio que sai do amp, e liga-lo aos falantes na placa externa, assim como faria com o cabeçote valvulado.
      O unico detalhe é que o transistorizado deve ser feito para uma única impedância de saída ( 2, 4, 8, 16 ohms… ), e os falantes tamém têm suas respectivas impedâncias, e você tem que descobrir isso pra poder fazer a ligação correta. Grandes chances de isso estar escrito no amp/falantes.
      Eu mesmo usei um combo vagabundo que eu tinha pra testar o amp, mas o amp do combo tava queimado, então simplesmente liguei um fio direto ao falante, e usei o combo apenas como uma caixa simples, com o “peso morto” do amp queimado la 🙂
      Boa sorte !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s